Festival celebrou aniversário com diversidade de estilos e gêneros e presença de nomes como Emicida, Johnny Hooker, Karina Buhr, Omulu, Liniker e os Caramelows e Hot & Oreia

O Rec-Beat celebrou seu aniversário de 25 anos com uma festa diversa e com uma poderosa mistura de ritmos e sonoridades. O evento aconteceu no Cais da Alfândega, no Recife Antigo, entre os dias 22 e 25 de fevereiro e recebeu um público estimado de 25 mil pessoas por noite, chegando a 100 mil pessoas nos quatro dias. 

Entre os nomes que brilharam no aniversário do Rec-Beat estiveram o rapper Emicida, que trouxe o show inédito do disco AmarElo, a banda Liniker e os Caramelows com uma apresentação cheia de energia e entrega e a multi-artista Karina Buhr, que apresentou um trabalho com um corpo percussivo poderoso. Já Johnny Hooker fez um show cheio de surpresas com participações especiais de Gaby Amarantos e Liniker.

O festival foi também das revelações, o que reforça a tradição do Rec-Beat em dar visibilidade a novos artistas e cenas musicais. A cantora Flaira Ferro, a dupla Hot & Oreia, o músico Martins e a cantora Ana Frango Elétrico, todos mostraram que são destaques de um novo e instigante cenário musical. Ainda se apresentam na programação o carioca Omulu, Josyara, Dj Dolores & Recife 19,BAD DO BAIRRO (projeto que une a rapper Jup do Bairro e a produtora Badsista), Carfunas Fulni-ô, Black Flower (Bélgica), Guts (França), N3rdistan (Marrocos).

O alemão Daniel Haaksman encerrou a última noite do festival com uma versão especial da Festa Balbúrdia e fez o público dançar até os últimos minutos. 

Este ano o festival reforçou as parcerias com as mídias independentes com a presença da Revista Continente e Frei Caneca FM, que fizeram transmissões ao vivo dos shows e entrevistas exclusivas. 

A chancela Frei Caneca FM Convida trouxe também para o palco do Rec-Beat o grupo paulista Liniker e os Caramelows e Emicida. Já a Continente Convida contou com Karina Buhr e seu elogiado novo show e disco. 

 

Recbitinho

 

O Recbitinho, versão infantil do festival, destinada aos pequenos foliões também garantiu uma programação animada e cheia de magia e música. O mais divertido espaço infantil do Carnaval do Recife Antigo recebeu as crianças e famílias nos dias 23, 24 e 25 de fevereiro no hall do Paço Alfândega, com entrada gratuita. 

As atrações deste ano levaram brincadeiras, teatro, mágica e, claro, muita música para os festeiros de momo mirins. Se apresentam nesta edição Mariane Bigio e seu Bloco do Neném, Fada Magrinha, O Sambinha, Caboclinho Sete Flexas do Recife e o mágico Rodrigo Lima. 

A curadoria do Recbitinho foi assinada por Lulu Araújo, produtora, musicista e professora de música para crianças, com direção de Antonio Gutierrez, o Gutie, também diretor e curador do Rec-Beat. O Recbitinho tem apoio do Paço Alfândega.

O Festival Rec-Beat é uma realização Rec-Beat Produções com patrocínio Prefeitura do Recife e Cepe, incentivo Funcultura – Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura e Governo de Pernambuco, apoio Copergás, Consulado Geral da França para o Nordeste em Recife, Consulado Geral da República Federal da Alemanha em Recife, Goethe Institut, Vila Sul, Paço Alfândega, Pitú, Delikata e Parraxaxá, rádio oficial Frei Caneca FM.

 

25 anos de Rec-Beat

 

Criado em 1995, o Rec-Beat é hoje um dos mais importantes festivais de música do Brasil. Idealizado e produzido por Antonio Gutierrez, o Gutie, o evento construiu ao longo desses 25 anos uma história de sucesso e relevância, sobretudo pelo seu interesse em incentivar e dar visibilidade às diferentes sonoridades da música brasileira e internacional, com destaque para a presença afro-latino-americana. 

Ao longo de sua história, não só acompanhou lado a lado todas as transformações da música local e nacional como foi um dos atores dessas mudanças. Do manguebeat ao carimbó, passando pela eletrônica, jazz, rap, rock e brega-funk, o festival sempre celebrou a diversidade cultural que está no cerne do Carnaval da cidade.

O palco do Rec-Beat sempre busca proporcionar uma experiência inesquecível ao público ao propor o encontro de diferentes tribos, classes sociais, gênero, gerações, em um espaço democrático, livre e aberto a todo mundo. O Rec-Beat é hoje como um dos epicentros da efervescência do carnaval do Recife.


A programação traz nomes nacionais e internacionais no já tradicional palco no Cais da Alfândega, sítio histórico da cidade, além de realizar atividades ao longo do ano e palcos especiais em outras cidades (Caruaru, Fortaleza, João Pessoa e São Paulo, entre outras, já receberam edições do Rec-Beat).