BLOG

(Foto: Ariel Martini/Rec-Beat)

Foi com uma programação majoritariamente brasileira que a primeira noite da edição 2015 do Festival Rec-Beat tomou conta do Cais da Alfândega neste sábado (14). Com patrocínio da Prefeitura do Recife e apoio do Governo do Estado de Pernambuco, o evento chega aos seus 20 anos com muito fôlego e celebrando a música sob todos seus ritmos.

Quem abriu a noite recepcionado o público foi o DJ Vinicius Leso, com um set de música brasileira, soul norte-americano da década de 1970 e os mais diversos gêneros dançantes.

Às 21h, o argentino Axel Krygier e seus músicos foram a primeira banda a abrir a edição de 20 anos do Rec-Beat. Ele trouxe seu rock latino cheio de estilo e de ginga. Acordes sujos de guitarra se misturaram a uma bateria rockabilly, rap e cumbia. Axel se alternava entre vocal, percussão eletrônica, escaleta e danças exóticas, aprovadas com divertimento pelo público.

Este último, aliás, já estava numeroso quando começou a apresentação dos Hermanos. A curiosa mistura sonora do quinteto atraiu, ao longo de seu show, muitos foliões no Cais da Alfândega. No final, após 50 instigantes minutos, o público do Rec-Beat se despediu calorosamente.

Enquanto as canções se sucediam, as projeções da VJ Milena Sá integravam esteticamente vídeos e fotos com as melodias de Axel e banda.

Em seguida, foi a vez de DJ Dolores: Banda Sonora subir ao palco. Já conhecido e aclamado pelo público local, Dolores trouxe com exclusividade o novo show de seu projeto Banda Sonora. Ele e sua banda formada, entre outros músicos locais, pela cantora Issar e pelo cantor Jr. Black, interpretaram músicas escritas por Dolores para trilhas sonoras. O público entoou junto com a performática Isaar a canção já conhecida do filme pernambucano “Amor, plástico e barulho”, “Álcool (bolero filosófico)”.

O Cais, já lotado, incendiou do início ao fim do show dos pernambucanos. Foi com um “levanta a mão quem tem cu” que a Banda Sonora iniciou a “Polca do cu”, do aclamado longa “Tatuagem”. E a plateia, em uníssono, levantou e cantou. Assim encerrou a enérgica apresentação de Dolores.

16346373548_9a1de3bddb_z

(Foto: Flora Pimentel/Rec-Beat)

Russo Passapusso foi o terceiro show da primeira noite do festival. O público pernambucano recebeu calorosamente e com muito entusiasmo o baiano. Conhecido já pelo seu trabalho como vocalista do grupo Baiana System, Russo tocou pela primeira vez no Recife seu projeto solo.

Músicas como “Paraíso da miragem” e “Remédio” ecoaram no Cais e foram cantadas pelos presentes. Russo sacudiu o Rec-Beat e fez todos pularem e dançarem ao som da mistura de samba, afrobeat, rap e reggae do baiano. Perto do final do show, ele instigou a plateia a improvisar junto a ele e sua banda – na palma da mão, para acompanhar a potência das percussões. Houve também o momento em que lembrou Chico Science & Nação Zumbi e conquistou, mais uma vez, o coração dos pernambucanos.

16533445552_23b947509d_z

(Foto: Flora Pimentel/Rec-Beat)

E quem subiu ao palco, já na primeira hora do domingo, com maestria e esplendor, foi Lucas e A Orquestra dos Prazeres. Os 30 músicos mostraram o poder dos tambores e hipnotizaram a plateia com sua performance envolvente, do começou ao fim.

Foi apresentado pela primeira vez nos palcos o show do DVD recém-gravado do grupo, “Repercutir”. O público reverenciou o mestre Lucas e sua belíssima orquestra. Os olhos das milhares de pessoas presentes mostraram que a força da percussão não passa por ninguém sem impactar e transformar. “Quando a gente se permite soar juntos na batida da percussão, a gente repercute”, proferiu Lucas dos Prazeres.

(Foto: Ariel Martini/Rec-Beat)

(Foto: Ariel Martini/Rec-Beat)

A versão da canção “Zumbi” foi única e inesquecível. O chão do Cais da Alfândega e as águas do Capibaribe que o rodeia tremeram nesta primeira noite dos 20 anos do festival.

Durante o início da madrugada ficou a cargo do paraibano Chico Correa se apresentar. O DJ convidou MC Pereira para esse seu projeto denominado Baile Muderno. Juntos, eles mostraram sua mescla de ritmos tradicionais nordestinos com batidas eletrônicas e samplers e animaram o público, transformando o Cais em uma grande festa.

Acompanhe a cobertura em fotos do Festival: https://www.flickr.com/photos/recbeatfestival